A relíquia aça livros

image


Qual o foco narrativo do livro A relíquia?

FOCO NARRATIVO O romance é narrado em primeira pessoa.


Qual o tema principal de A Relíquia?

O tema é a questão central da construção de verdades religiosas, sociais e políticas, que estão na pauta do nosso dia a dia.” É essa trama de A Relíquia que compõe um retrato da sociedade contemporânea.


Quem é o narrador do livro A relíquia?

Teodorico RaposoNarrado em primeira pessoa, A Relíquia conta com um narrador chamado Teodorico Raposo que resolve contar aquilo que fez da sua existência.


O quê Miss Mary era de Teodorico?

Dona Maria do Patrocínio: Tia de Teodorico, rica, católica e muito severa. Criou o sobrinho seguindo os ensinamentos de um amigo padre. Sempre incentivava o sobrinho aos estudos e à religiosidade.


O que quer dizer o termo relíquia?

Coisa considerada de grande valor por ser rara ou antiga.


O que é uma relíquia sagrada?

Uma relíquia (em latim: reliquiae) é um objeto preservado para efeitos de veneração no âmbito de uma religião, sendo normalmente uma peça associada a uma história religiosa. Podem ser objetos pessoais ou partes do corpo de um santo ou personagem sagrada.


Qual é o crime do padre Amaro?

Publicado pela primeira vez em 1875, O Crime do Padre Amaro denuncia a corrupção dos padres, que manipulam a população em favor da elite, e a questão do celibato clerical. É com esse livro que Eça de Queirós inaugura, na prosa, a estética do realismo-naturalismo em Portugal.


Qual o destino de padre Negrão Em A Relíquia?

O padre Negrão veementemente o condena, a tia o deserda. Raposão, sem rumo, passa a viver da venda de relíquias, inflacionando o mercado que logo decresce dada a grande quantidade de objetos “sagrados” postos em circulação.


Qual o tipo de relacionamento entre Teodorico Raposo Raposão E a dona Maria do Patrocínio?

Teodorico Raposo, o “Raposão”, era neto de padre e ficou órfão muito cedo. Foi cuidado por sua tia beata e severa, Dona Maria do Patrocínio da Neves, ou Titi, como ele a costumava chamar. Aos nove anos foi encaminhado para um orfanato, onde concluiu seus estudos e conheceu seu melhor amigo e futuro cunhado, Crispim.


A Relíquia

ID 1396939 Poucas marcas do tempo na capa. Capa com poucas dobraduras. Corte escurecido. Poucas marcas de tempo nas páginas. Algumas páginas com dobraduras. Papel comum. Editoração normal. Encadernação comum. Livro em bom estado de conservação. Livro já lido. Livro adquirido de particular. Manchas de oxidação. Livro Refilado. Livro Empenado.


A Relíquia

A ilustração da capa varia de acordo com o ano da edição e o estado de conservação do livro. Observe cuidadosamente a descrição da obra nos resultados abaixo. Em caso de dúvidas, entre em contato com o vendedor.


A relíquia

Ótimo estado. Livro higienizado antes de ser embalado. Se não mencionamos nenhum detalhe é porque não há problemas a serem destacados como manchas, grifos ou outros.


A Relíquia

Regular estado de conservação. Leves desgastes de manuseio na capa, descasques nas bordas e extremidades da lombada, arranhões e coloração opaca. Mancha escurecida próxima à lombada. Pigmentos de oxidação amarelados na contracapa, folhas de guarda, corte e bordas das páginas. Miolo íntegro, somente levemente duro ao manusear.


A Relíquia

Livro em brochura. Encontra-se em bom estado de conservação, com miolo firme, texto preservado, livre de grifos. Localizado no Sebo marrom. Aproveite e adquira já o seu exemplar!


A Relíquia – Coleção Livros o Globo

SKU: 26281082. Livro usado em bom estado. A capa apresenta sinais de manuseio, capa e bordas ótimas sem desgaste e conservadas, não possui anotações ou pontos de oxidação. (Victor) estante N° 107 09/02/21


A Relíquia

Livro usado em ótimo estado de conservação, capa e lombada em ótimo estado, encadernação em ótimo estado, miolo em ótimo estado de conservação, sem grifos no interior do livro, assinatura do antigo proprietário à caneta na primeira página e na lateral do livro. *Imagem meramente ilustrativa.


Sobre o Autor

Eça de Queiroz nasceu a 25 de novembro de 1845 na Póvoa de Varzim e é considerado um dos maiores romancistas de toda a literatura portuguesa, o primeiro e principal escritor realista português, renovador profundo e perspicaz da nossa prosa literária.
Entrou para o Curso de Direito em 1861, em Coimbra, onde conviveu


Quem comprou também comprou

A WOOK, marca detida pela Porto Editora, reserva-se ao direito de não validar comentários que não se foquem na análise do conteúdo dos livros, assim como de divulgar esses mesmos comentários nos diversos canais digitais da qual é responsável.


FOCO NARRATIVO

O romance é narrado em primeira pessoa.


TEMPO E ESPAÇO

As memórias de Teodorico Raposo se distribuem progressivamente, em um tempo psicológico que recupera os fatos de sua infância, com o pai; da adolescência, já órfão, sob os cuidados da tia; da juventude, em Lisboa, tendo passado pela faculdade de Coimbra e, depois, a empreender a longa viagem à Terra Santa, ambiente central da narrativa, onde se passa a maior parte das suas aventuras..


CONEXÕES

Ao criar um “narrador-autor” de suas memórias, um tanto cético, prepotente, orgulhoso de sua “carreira”, sem o peso do trabalho nas próprias costas, dado aos desejos mundanos e à boa vida burguesa, o leitor brasileiro logo o associará ao Brás Cubas, protagonista das “Memórias póstumas…”, obra maior do Realismo brasileiro, escrita por Machado de Assis, publicada em 1881..


ENREDO E TRAMA

A trama se desenvolve ao redor do conflito latente entre duas personalidades. A primeira, a poderosa Dona Maria do Patrocínio, também chamada D. Patrocínio das Neves, Tia Patrocínio e, com mais frequência, Titi.


ANÁLISE A PARTIR DAS PERSONAGENS

Teodorico conduz uma alma jovem e vibrante, fascinado pelo amor que, oposto aos requintes das letras românticas, mostra-se carnal, instintivo, aguçado, mas estará sob os cuidados das carolas e inflexíveis regras de Dona Patrocínio.

image

Leave a Comment