Como ter cuidado ao retirar açai

image


Qual é o perigo do açaí?

Acontece que essa saborosa fruta pode esconder um perigo: o parasita que transmite a doença de Chagas. Segundo a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), cerca de 10% dos alimentos à base de açaí no Pará e Rio de Janeiro apresentaram DNA do parasita, informa o G1 dessa doença.


Quanto tempo o Trypanosoma cruzi sobrevive?

A professora Vanete reforça que o Trypanosoma cruzi chega a sobreviver 32 horas na polpa do açaí.


É seguro comer açaí?

As pesquisas e os dados epidemiológicos demonstram que o produto processado termicamente, seja pasteurizado ou esterilizado acima de no mínimo 80°C por 10 s, torna-se seguro, enquanto o produto in natura ou apenas resfriado ou congelado poderá não ser.


O que mata o Trypanosoma cruzi?

Pesquisas apontam que o aquecimento acima de 45ºC e a pasteurização são medidas eficazes para matar o T. cruzi. Por outro lado, o simples congelamento dos frutos pode não ser suficiente. Um estudo mostrou que o parasito continuava infectivo após 26 horas de contato com a polpa de açaí congelada.


Quanto tempo dura a fase aguda da doença de Chagas?

Fase aguda: Quando os sintomas ocorrem, duram cerca de dois a quatro meses e podem incluir erupções de pele e nódulos inflamatórios, febre, dor de cabeça, gânglios linfáticos aumentados, náuseas, diarreia, vômito e dificuldade para respirar.


Qual o ciclo de vida do barbeiro?

O ciclo de vida dos barbeiros pode durar de 1 a 2 anos. Os barbeiros podem hospedar e transmitir o Tripanosoma cruzi que é o protozoário causador da Doença de Chagas.


Quem não pode comer açaí?

* pessoas alérgicas devem redobrar os cuidados, pois existem componentes na fruta que podem favorecer alergias leves e mesmo graves. * Além disso, grávidas e mulheres que amamentam devem evitar o consumo, pois não existem estudos que mostrem os impactos do produto na saúde de pessoas nessas condições.


Pode tomar açaí doente?

Se a higienização do fruto não for feita corretamente, o açaí pode transmitir Doença de Chagas. Porém, devemos ressaltar que não é o açaí que transmite a doença e sim o consumo de alimentos contaminados por insetos infectados com o parasita trypanosoma cruzi.


O que não pode misturar com açaí?

O açaí, por si só, já é muito calórico. Misturar a polpa da fruta com xarope de guaraná e outros produtos doces como caldas, leite em pó e chocolate faz o alimento se tornar prejudicial à saúde. O ideal é consumi-lo puro ou com frutas.


Como são tratadas as doenças causadas por vírus?

Para o tratamento das viroses, na maioria dos casos, o médico indica medicamentos que visam controlar os sintomas, como febre, dores, enjoos e vômitos. Isso se deve ao fato de que a maioria das doenças causadas por vírus não possui um medicamento específico para seu tratamento.


Como evitar a propagação da doença de Chagas?

A prevenção da doença de Chagas está intimamente relacionada à forma de transmissão e uma das formas de controle é evitar que o inseto “barbeiro” forme colônias dentro das residências, por meio da utilização de inseticidas residuais por equipe técnica habilitada.


Quais as principais formas infectante do Trypanosoma cruzi para o homem?

Esses tripomastigotas, altamente móveis e infectantes, são as formas metacíclicas eliminadas nas fezes do vetor. As principais formas do Trypanosoma cruzi são: · Amastigota – fase intracelular, sem organelas de locomoção, com pouco citoplasma e núcleo grande.


1. Opte por empresas autorizadas

Diante da necessidade de levar o dispositivo em uma assistência técnica, Bruna Castanheira, pesquisadora do Centro de Tecnologia e Sociedade da FGV (Fundação Getúlio Vargas), recomenda que o usuário dê preferência às empresas autorizadas pelo fabricante.


2. Retire o cartão de memória

Caso o aparelho conte com um cartão de memória removível, certifique-se que todas as informações pessoais –tais como contatos e fotos– estejam salvas nele e retire-o ao levar o dispositivo ao conserto.


3. Faça o backup físico

Para os smartphones que não contam com o cartão de memória removível — como é o caso do iPhone e dos novos Galaxys–, o cenário mais seguro, de acordo com Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky Lab Brasil, é fazer o backup físico do smartphone.


4. Recorra ao backup na nuvem

Para quem não tiver um computador, a opção é fazer um backup na nuvem. “A segurança desse armazenamento depende de como ele é feito”, afirma Assolini. Para que seja seguro, segundo ele, é preciso recorrer a uma boa senha, além da dupla autenticação. “Esse método exige, além da senha, um código enviado para o celular no momento do login”


5. Reset o aparelho

Com os arquivos e as configurações salvas, é preciso fazer o chamado “hard reset”, que além de apagar todos os dados, restaura os padrões de fábrica do dispositivo. O processo é bastante simples em qualquer sistema operacional.


6. Criptografar o celular

O uso da criptografia, como aponta Filev, também é recurso eficaz para a garantida da privacidade dos arquivos contidos no smartphone. Segundo ele, há alguns softwares gratuitos no mercado que oferecerem a proteção de pastas e/ou arquivos específicos. “Em geral, são simples de ser instalados.


7. Evitar senhas óbvias

Cuidado com as senhas! Afinal, de nada adianta usar serviços na nuvem ou programas de proteção se a senha escolhida for frágil. Assolini sugere que os códigos de acesso não sejam números sequenciais ou repetidos, nomes de parentes ou datas de nascimento.


O que é alienação fiduciária?

Alienação fiduciária é o contrato firmado entre consumidores e instituições financeiras que concedem financiamentos na compra de um veículo. Enquanto a dívida não é quitada, o comprador fica com a posse do bem, que, por sua vez, permanece como garantia de pagamento.


Como tirar a alienação fiduciária do documento?

Em primeiro lugar, é preciso quitar as dívidas para que seja possível dar baixa no termo. Isso inclui Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores ( IPVA ), multas, seguro obrigatório, entre outras.

image

Leave a Comment